Textos (página 04)




Críticas.
Como você reage a crítica? Elas põem você pra baixo?
Muitas pessoas estão ansiosas para reclamar e criticar só porque têm um prazer perverso em colocar os outros para baixo.
Você realmente quer que estas pessoas controlem a maneira como você se vê?
Muitas críticas são úteis e podem nos ajudar a mudar de maneira positiva.
Imagine como seria difícil melhorar se nunca recebêssemos feedback.
Mas uma crítica é apenas a opinião de uma pessoa.
Se você deixa as críticas modelarem o modo como pensa sobre si mesmo, então sua felicidade esta a mercê dos outros.
Quando alguém criticá-lo, procure objetivamente por algo positivo e útil no que está sendo dito.
Então descarte o resto. Isso não precisa deprimi-lo.
Quando você vive com paixão e propósito, esforçado-se de maneira sincera para fazer o melhor que consegue, será que a opinião dos outros é tão importante assim?
Pensamentos negativos de outras pessoas, particularmente os sem fundamento, não valem o esforço da preocupação que causam.
Existem muitas pessoas a quem você nunca vaia agradar.
Isso é problema delas – não seu.
Aprenda o que puder com seus críticos.
Depois, avance com confiança e determinação.

Um gerente pediu certa vez a um sábio, que o ajudasse a melhorar sua equipe de trabalho, que tinha baixo rendimento. O sábio escreveu algo em um pedaço de papel e colocou em uma caixa, fechou e entregou ao granjeiro, dizendo: "Leva esta caixa por todos os lados da empresa, em seus diversos departamentos, três vezes ao dia, durante um ano". No dia seguinte, assim fez o gerente.
Pela manhã, foi ao departamento de Telemarketing e encontrou um empregado batendo papo ao telefone com a namorada, outro estava com a mesa muito desorganizada, um faltara e outro acabara de chegar 45 minutos atrasado. Chamou a atenção, particularmente de cada um deles, explicando como este comportamento afeta no rendimento individual e na produtividade como equipe.
Ao meio dia, quando foi na linha de produção, verificou um grande desperdício de matéria prima e rapidamente, corrigiu a falha, treinando os supervisores e inspetores de qualidade.
Ao entardecer, antes de encerrar o expediente, indo até o setor de expedição e entrega, verificou que por falta de uma rota bem traçada o desperdício de combustível e tempo era excessivo.A partir daí, todos os dias ao percorrer a empresaa, de um lado para outro, com seu amuleto, encontrava coisas que deveriam ser corrigidas.
Ao final do ano, voltou a encontrar o sábio e lhe disse: "Deixa esta caixa comigo por mais um ano; minha empresa melhorou o rendimento desde que estou com o amuleto."O sábio riu e, abrindo a caixa, disse:- "Podes ter este amuleto pelo resto da sua vida."

No papel havia escrito a seguinte frase:

"Se queres que as coisas melhorem, deves acompanhá-las constantemente."

A Ratoeira.

Era uma vez numa fazenda, quando um rato olhando pelo buraco na parede vê o fazendeiro e sua esposa abrirem um pacote. Pensou logo em que tipo de comida poderia ter ali. Ficou aterrorizado quando descobriu que era uma ratoeira.

Foi para o pátio da fazenda advertindo a todos: "Tem uma ratoeira na casa, uma ratoeira na casa." Gritava por todos os cantos !!!

A galinha, que estava cacarejando e ciscando, levantou a cabeça e disse: "Desculpe-me Sr. Rato, eu entendo que é um grande problema para o senhor, mas não me prejudica em nada, não me incomoda."

O rato foi até o porco e disse a ele: "Tem uma ratoeira na casa, uma ratoeira."

"Desculpe-me Sr. Rato, mas não há nada que eu possa fazer, a não ser rezar. Fique tranqüilo que o senhor será lembrado nas minhas preces."

O rato dirigiu-se então à vaca. Ela disse: "O que Sr. Rato? Uma ratoeira? Por acaso estou em perigo? Acho que não!"

Então o rato voltou para a casa, cabisbaixo e abatido, para encarar a ratoeira do fazendeiro. Naquela noite ouviu-se um barulho, como o de uma ratoeira pegando sua vítima. A mulher do fazendeiro correu para ver o que havia pego. No escuro, ela não viu que a ratoeira pegou a cauda de uma cobra venenosa. A cobra picou a mulher. O fazendeiro a levou imediatamente ao hospital. Ela voltou com febre. Todo mundo sabe que para alimentar alguém com febre, nada melhor que uma canja. O fazendeiro pegou seu cutelo e foi providenciar o ingrediente principal.

Como a doença da mulher continuava, os amigos e vizinhos vieram visitá-la.
Para alimentá-los o fazendeiro matou o porco. A mulher não melhorou e acabou morrendo. Muita gente veio para o funeral O fazendeiro então sacrificou a vaca para alimentar todo aquele povo.

Na próxima vez que você ouvir dizer que alguém está diante de um problema e acreditar que o problema não lhe diz respeito lembre-se que, quando há uma ratoeira na casa, toda a fazenda corre risco.

 

Arrogância.

O diálogo abaixo é verídico, e foi travado em outubro de 1995 entre um navio da Marinha Norte Americana e as autoridades costeiras do Canadá, próximo ao litoral de Newfoundland. Os americanos começaram na maciota:

- Favor alterar seu curso 15 graus para norte para evitar colisão com nossa embarcação.

Os canadenses responderam de pronto:

- Recomendo mudar o SEU curso 15 graus para sul.

O americano ficou mordido:

- Aqui é o capitão de um navio da Marinha Americana.
Repito, mude o SEU curso.

Mas o canadense insistiu:

- Não. Mude o SEU curso atual.

O negócio começou a ficar feio. O capitão americano berrou ao microfone:

- Este é o porta-aviões USS Lincoln, o segundo maior navio da frota americana no Atlântico. Estamos acompanhados de três destroyers, três fragatas e numerosos navios de suporte. Eu exijo que vocês mudem seu curso 15 graus para norte, ou então tomaremos contramedidas para garantir a segurança do navio.

E o canadense respondeu:

- Aqui é um farol, câmbio!

Às vezes a nossa arrogância nos faz cegos... quantas vezes criticamos a ação dos outros, quantas vezes exigimos mudanças de comportamento nas pessoas que vivem perto de nós quando na verdade nós é que deveríamos mudar o nosso rumo....

 

Reunião na Carpintaria.

Era uma vez uma carpintaria e num determinado dia houve uma vez uma estranha reunião.

Foi uma reunião das ferramentas para acertar suas diferenças.

O martelo exerceu a presidência, mas foi expulso teria que renunciar. A causa? Fazia demasiado barulho e todo o tempo golpeando. O martelo aceitou sua culpa, mas pediu que também fosse expulso o parafuso, dizendo que ele dava muitas voltas para conseguir algo.

O parafuso concordou, mas por sua vez, pediu a expulsão da lixa. Dizia que ela era muito áspera no tratamento com os demais.

A lixa acatou, com a condição de que se expulsasse a trena, que sempre media os outros segundo a sua medida, como se fora a única perfeita.

Nesse momento entrou o carpinteiro, juntou o material e iniciou o seu trabalho. Utilizou o martelo, a lixa, a trena e o parafuso. Finalmente, a rústica madeira se converteu num fino móvel. Quando a carpintaria ficou novamente só, a reunião reativou a discussão.

Foi então que o serrote tomou a palavra e disse:

- Senhores, ficou demonstrado que temos defeitos, mas o carpinteiro trabalha com nossas qualidades, com nossos pontos valiosos. Assim, não pensemos em nossos pontos fracos, e concentremo-nos em nossos pontos fortes.

A assembléia entendeu que o martelo era forte, o parafuso unia e dava força, a lixa era especial para limar e afinar asperezas e a trena era precisa e exata. Sentiram-se então como uma equipe capaz de produzir móveis de qualidade. Sentiram alegria pela oportunidade de trabalhar juntos. Ocorre o mesmo com os seres humanos.

Quando uma pessoa busca defeitos em outra, a situação torna-se tensa e negativa. Ao contrário, quando se busca com sinceridade os pontos fortes dos outros, florescem as melhores conquistas humanas.

É fácil encontrar defeitos. Qualquer um pode fazê-lo. Mas encontrar qualidades e enxergar atributos, isto é para os sábios.

 

O lençol sujo.

Um casal, recém-casado, mudou-se para um bairro muito tranqüilo.

Na primeira manhã que passavam na casa, enquanto tomavam café, a mulher reparou atráves da janela em uma vizinha que pendurava lençóis no varal e comentou com o marido:

- Que lençóis sujos ela está pendurando no varal!

- Está precisando de um sabão novo.

Se eu tivesse intimidade perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar as roupas! O marido observou calado.

Alguns dias depois, novamente, durante o café da manhã, a vizinha pendurava lençóis no varal e a mulher comentou com o marido:

- Nossa vizinha continua pendurando os lençóis sujos!

Se eu tivesse intimidade perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar as roupas!

E assim, a cada dois ou três dias, a mulher repetia seu discurso, enquanto a vizinha pendurava suas roupas no varal.

Passado um tempo a mulher se surpreendeu ao ver os lençóis muito brancos sendo estendidos, e empolgada foi dizer ao marido:

- Veja, ela aprendeu a lavar as roupas, Será que outra vizinha ensinou??? Porque eu não fiz nada.

O marido calmamente respondeu:

- Não, hoje eu levantei mais cedo e lavei os vidros da nossa janela!

E assim é.

Tudo depende da janela, através da qual observamos os fatos.

 




Veja aqui um caso muito interessante.






Complicando o texto

Para que simplificar se o importante é complicar?

Estagio inicial:
Rapadura é doce, mas não é mole não!

Primeiro estagio: ( Curso fundamental )
Açúcar mascavo em tijolinhos tem o sabor adocicado, mas não é macio ou flexível.

Segundo estagio: ( Curso médio )
Açúcar não refinado, sob a forma de pequenos blocos, tem o sabor agradável do mel, porém não muda de forma quando pressionado.

Terceiro estagio: ( Universitário )
O açúcar, quando ainda não submetido à refinação e, apresentando-se em blocos sólidos de pequenas dimensões e forma tronco-piramidal, tem sabor deleitável da secreção alimentar das abelhas; todavia não muda suas proporções quando sujeito à compressão.

Quarto estágio: ( Mestre )
A sacarose extraída da cana de açúcar, que ainda não tenha passado pelo processo de purificação e refino, apresentando-se sob a forma de pequenos sólidos tronco-piramidais de base retangular, impressiona agradavelmente o paladar, lembrando a sensação provocada pela mesma sacarose produzida pelas abelhas em um peculiar líquido espesso e nutritivo. Entretanto, não altera suas dimensões lineares ou suas proporções quando submetida a uma tensão axial em conseqüência da aplicação de compressões equivalentes e opostas.

Texto final: ( PhD )
O dissacarídeo de fórmula C12H22O11, obtido através da fervura e da evaporação de H2O do líquido resultante da prensagem do caule da ramínea Saccharus officinarum, Linneu, isento de qualquer outro tipo de processamento suplementar que elimine suas impurezas, quando apresentado sob a forma geométrica de sólidos de reduzidas dimensões e arestas retilíneas, configurando pirâmides truncadas de base oblonga e pequena altura, uma vez submetido a um toque no órgão do paladar de quem se disponha a um teste organoléptico, impressiona favoravelmente as papilas gustativas, sugerindo impressão sensorial equivalente provocada pelo mesmo dissacarídeo em estado bruto que ocorre no líquido nutritivo da alta viscosidade, produzindo nos órgãos especiais existentes na Apis mellifica, Linneu. No entanto, é possível comprovar experimentalmente que esse dissacarídeo, no estado físico-químico descrito e apresent ado sob aquela forma geométrica, apresenta considerável resistência a modificar apreciavelmente suas dimensões quando submetido a tensões mecânicas de compressão ao longo do seu eixo em conseqüência da pequena deformidade que lhe é peculiar.

Recebida por e-mail de: Nelson Sadala Tavares.






A Pedra

O distraído nela tropeçou
O bruto a usou como projétil.
O empreendedor, usando-a, construiu.
O camponês, cansado da vida, dela fez assento.
Para meninos, foi brinquedo.
Drummond a poetizou.
Já David, matou Golias.
Michelangelo extraiu-lhe a mais bela escultura.
E em todos esses casos, a diferença não esteve na pedra, mas no homem!
Não existe "pedra" no seu caminho que você não possa aproveitá-la para
o seu próprio crescimento.
"Pense nisso..."


Recebida por e-mail em  11/04/2009 por Aline Carpiné





Loucura

De aorcdo com uma peqsiusa  de uma uinrvesriddae ignlsea,  não ipomtra em qaul odrem as   Lteras de uma plravaa etãso,   a úncia csioa iprotmatne é que   a piremria e útmlia Lteras etejasm   no lgaur crteo. O rseto pdoe ser   uma bçguana ttaol, que vcoê   anida pdoe ler sem pobrlmea.   Itso é poqrue nós não lmeos   cdaa Ltera isladoa, mas a plravaa   cmoo um tdoo.
 
Sohw de bloa.



Fixe seus olhos no texto abaixo e deixe que a sua  mente leia corretamente o que está escrito.

  35T3 P3QU3N0 T3XTO 53RV3 4P3N45 P4R4 M05TR4R COMO NO554 C4B3Ç4 CONS3GU3 F4Z3R CO1545 1MPR3551ON4ANT35! R3P4R3 N155O! NO COM3ÇO 35T4V4 M310 COMPL1C4DO, M45 N3ST4 L1NH4 SU4 M3NT3 V41 D3C1FR4NDO O CÓD1GO QU453 4UTOM4T1C4M3NT3, S3M PR3C1S4R P3N54R MU1TO, C3RTO? POD3 F1C4R B3M ORGULHO5O D155O! SU4 C4P4C1D4D3 M3R3C3! P4R4BÉN5!

Consegues encontrar 2 letras B no texto acima?

Recebida por e-mail em  27/04/2009 por Antonio Mario Donato


 




Copyright © 2012. Creative Commons.